Lista para monitorar jornalistas é “censura indireta”, diz órgão do MPF.

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão do Ministério Público Federal (MPF), afirmou, em nota pública, que se caracteriza como “censura indireta” a criação de listas catalogando a opinião de jornalistas e cidadãos em geral.

O documento é assinado pelo procurador federal dos Direitos do Cidadão, Carlos Alberto Vilhena, e pela coordenadora do grupo de trabalho Liberdades: Consciência, Crença e Expressão, da PFDC, Mariane Guimarães de Melo Oliveira.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.